Lançado oficialmente em outubro de 2020, o PIX já tem grande aderência do público. Não é para menos: a plataforma promete pagamentos instantâneos em serviços que normalmente demoram entre 3 a 5 dias úteis. O projeto do PIX, no entanto, já estava lançado há algum tempo.

Dessa forma, desde abril de 2020, o Banco Central havia estabelecido que todos os bancos e instituições financeiras com mais de 500 mil clientes devem oferecer esse sistema de pagamento a seus clientes. Mas, afinal, o que é o PIX? É seguro? É o que discutiremos a seguir.

O que é e como funciona o PIX?

O PIX é uma plataforma de pagamentos instantâneos. O sistema, lançado pelo Banco Central do Brasil (BCB) oficialmente em 5 de outubro de 2020, tem como proposta agilizar os pagamentos. Para isso, utiliza a tecnologia QR Code, que é similar a um código de barras, mas que é capaz de armazenar mais dados que ele.

Apesar de o QR Code (sigla para “Quick Response Code”, código de resposta rápida) existir desde 1994 como ferramenta auxiliar na catalogação de peças de carro, somente mais recentemente tem sido usado em grande escala. Começou com os celulares e depois no marketing, como maneira de complementar conteúdos. Hoje em dia, é usado, por exemplo, em aplicativos como o WhatsApp Web, para parear o telefone celular com o computador.

Assim, a partir de outubro de 2020, o PIX deve começar a ser disponibilizado em aplicativos para smartphones de grandes bancos e instituições financeiras. Ele é mais uma opção de pagamento, além das modalidades de DOC e TED convencionais. Portanto, o PIX poderá ser taxado, de acordo com o que foi estabelecido pelo Banco Central, que permite as instituições financeiras a cobrarem de acordo com suas políticas de preço. Espera-se, porém, que o PIX seja mais barato do que os demais serviços.

Inclusive, uma grande vantagem do sistema PIX é possibilitar os pagamentos mesmo sem internet. Similarmente, algumas transações podem ser realizadas via geração de QR Code ou por aproximação, como no caso de maquininhas de cartão de crédito. Para isso, o usuário deve entrar no aplicativo do PIX ou de sua instituição financeira e seguir as instruções para realizar a transação.

Dessa maneira, com o sistema e a tecnologia empregados pelo PIX, passa a ser possível realizar transações financeiras 24h por dia, todos os dias.

O PIX é seguro?

A tecnologia QR Code é bastante segura. Isso porque o QR Code tem duas modalidades: estático e dinâmico. O QR Code estático é adotado para o pagamento de valores fixos, enquanto os dinâmicos servirão para valores variáveis. Em outras palavras, é como se o QR Code dinâmico fosse um boleto que você pode incluir várias informações, inclusive data, cliente, CNPJ, CPF, taxas de juro etc.

Dessa forma, o sistema de pagamentos PIX irá facilitar muito as transações financeiras sem comprometer a segurança de dados. Isso porque, além do código ser dinâmico, há várias outras tecnologias de proteção de dados que são utilizadas pelas instituições financeiras, tais como Blockchain, criptografia assimétrica (SSL e TSL), protocolos como o https e sistemas antifraude. Com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) em vigor, os chamados cyber crimes também passaram a ser mais bem tipificados e as empresas obrigadas a prestar contas quanto ao que fazem com os dados dos usuários.

Quais as vantagens de desvantagens de usar o PIX?

A plataforma PIX já vem sendo considerada como uma verdadeira revolução no sistema financeiro brasileiro. Isso porque sua principal vantagem é a integração de empresas, fintechs, bancos e consumidores em uma plataforma só. Outro ponto muito destacado é a velocidade da transação, assim como sua disponibilidade ininterrupta. Também, um grande benefício do PIX é a redução de filas e deslocamentos para pagamentos. Isso é ainda mais interessante se considerarmos a necessidade de isolamento social pelo qual o mundo passa.

Quanto às desvantagens, essa tecnologia traz um grande impacto às instituições financeiras em termos de infraestrutura. Também, há alguns questionamentos quanto à segurança aos horários permitidos para a realização de transações, já que alguns controles de horários passaram a existir por causa do histórico de furtos e roubos fora do horário comercial.

Como medida de segurança, entretanto, o Banco Central passou a implementar o padrão ISO 20022, que é um padrão internacional de comunicação específico para a indústria financeira e inclui diversos procedimentos de segurança de dados.

Assim, o PIX é uma plataforma de pagamentos criado pelo Banco Central que usa QR Code estático ou dinâmico para fazer transações instantâneas 24h por dia. Com isso, não apenas agiliza como também integra as transações financeiras, colocando o Brasil na vanguarda mundial em operações bancárias e financeiras. Quanto à segurança das transações, o BC adotou a norma ISO 20022, além de requerer que as instituições financeiras utilizem suas próprias metodologias de segurança e políticas de dados.

Quer saber mais? Veja como ficam as cooperativas de crédito com a adoção do sistema PIX